16 de dez de 2008

O princípio das primícias

Se você somente recebesse instruções, mas não entendesse o motivo delas, não obedeceria com muito mais dificuldade? Para compreendermos as instruções de Deus temos que começar do princípio.
O primeiro princípio que devemos aprender é que Deus é o primeiro. Como substantivo, “primeiro” significa a primeira pessoa ou coisa mencionada. Como adjetivo, “primeiro” significa o número um dentro de uma série, no início do tempo, acima em importância, escalão, fundamental e básico. Fundamental é aquilo que é colocado primeiro, o alicerce.
Ser o primeiro não significa ser uma peça isolada, mas significa aquilo que serve de base para todos os demais. Esse princípio pode ser observado na construção de um prédio. O alicerce vem primeiro e tudo o mais depende dele.

1. O exemplo de Adão e Eva

Deus não criou o homem para ser seu escravo e nem colocou a árvore do conhecimento do bem e do mal para tentar o homem. Há alguns que pensam que aquela árvore era tentadora, mas isso não é verdade.
Ninguém, ao ser tentado, diga: Sou tentado por Deus; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e ele mesmo a ninguém tenta. (Tg 1.13)
Quando Deus separa algo exclusivamente para Si, Ele está mostrando ao homem que Ele é o Senhor. Deus deu ao homem poder e autoridade para sujeitar, mas havia algo que estava acima de sua autoridade. Eles deveriam ser lembrados, pela proibição, que eram comandados por Deus.
Quando comeram do fruto eles tomaram algo que era de Deus e o resultado foi a morte. Ao tomar algo que é exclusivamente de Deus nos fazemos iguais a Ele. Essa é a atitude luciferiana.
Somente Deus é o primeiro e, quando tomamos o primeiro, estamos tentando tomar o lugar de Deus.

2. O exemplo de Abraão e Isaque

Houve um momento em que Deus precisou comprovar o lugar que possuía na vida de Abraão. O Senhor disse que Isaque era o único filho de Abraão, o que significa que Ismael não foi contado. Sendo o único, Ele era também o primeiro e, como sabemos, todo primeiro pertence a Deus.
Acrescentou Deus: Toma teu filho, teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá; oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes, que eu te mostrarei. (Gn 22.2)
Então, lhe disse: Não estendas a mão sobre o rapaz e nada lhe faças; pois agora sei que temes a Deus, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho. (Gn 22.12)
Deus poderia exigir o primeiro de Abraão. Quando ele resolveu entregar Isaque sua fé foi comprovada. Dar o Isaque não significa, portanto, dar o melhor ou o sacrificial, mas significa dar o primeiro.

3. O exemplo dos primogênitos no Egito

Deus havia dito a Faraó para deixar sair o seu primogênito.
Dirás a Faraó: Assim diz o SENHOR: Israel é meu filho, meu primogênito. Digo-te, pois: deixa ir meu filho, para que me sirva; mas, se recusares deixá-lo ir, eis que eu matarei teu filho, teu primogênito. (Êx 4.22,23)
Nós sabemos que o primeiro pertence a Deus, por isso o Senhor podia julgar o Egito por usurpar o seu primogênito. Faraó não acatou a ordenança de Deus e por isso Ele começou a enviar as pragas que se tornaram progressivamente mais severas.
A história das pragas não é uma analogia que as pessoas gostam de aplicar na própria vida. Contudo, como os egípcios, existem sempre aqueles que acham que não há nada a ser mudado em sua vida porque não conseguem ver a chegada do julgamento.
Você já teve o pressentimento de que alguém estava querendo lhe dizer algo? Os pequenos problemas podem ser as advertências de Deus. Hoje são alguns mosquitos e gafanhotos, mas é progressivo. Se não houver mudança o juízo pode se tornar severo.
A lição das pragas é esta: se não colocarmos Deus em primeiro lugar, isso não O impedirá de ser o primeiro.

4. O princípio do primogênito

Você se casaria com alguém que dissesse: “Eu serei fiel a você 360 dias por ano, mas eu quero 5 dias para fazer o que eu quiser sem ter de prestar contas das minhas ações”?
Deus queria ser o Senhor sobre o Seu povo e para estabelecer isso Ele instaurou o Tabernáculo, as festas, a lei, o sacrifício e a lei das primícias. O primeiro pertence a Deus (Êx 13.1-9)
Todo o que abre a madre é meu; também de todo o teu gado, sendo macho, o que abre a madre de vacas e de ovelhas. O jumento, porém, que abrir a madre, resgatá-lo-ás com cordeiro; mas, se o não resgatares, será desnucado. Remirás todos os primogênitos de teus filhos. NINGUÉM APARECERÁ DIANTE DE MIM DE MÃOS VAZIAS. (Êx 34.19,20)
AS PRIMÍCIAS DOS PRIMEIROS FRUTOS DA TUA TERRA TRARÁS À CASA DO SENHOR, TEU DEUS. NÃO COZERÁS O CABRITO NO LEITE DA SUA PRÓPRIA MÃE. (ÊX 34.26)
O PRIMOGÊNITO É CONSAGRADO AO SENHOR E AQUILO QUE É CONSAGRADO A DEUS É SANTÍSSIMO E NÃO PODE SER TOMADO POR MEIO ALGUM (LV 27.26-28).
O animal impuro poderia ser resgatado, mas o puro deveria morrer. O interessante é que o homem é impuro e, por isso, poderia ser resgatado, mas Jesus, sendo puro, teve que ser morto.
Como hoje, o israelita poderia dizer: “Deus não precisa da minha ovelha, Ele não precisa do meu filho e nem do meu dinheiro”. Mas esse era o mecanismo para Ele mostrar que era o primeiro. Deus não queria a ovelha mais gorda ou a mais bonita, Ele queria a primeira. Não poderia ser a segunda ou a oitava, pois assim Ele não seria o primeiro. Deus somente é Deus se Ele for o primeiro.

5. O exemplo de Acã

A primeira cidade a ser conquistada em Canaã foi Jericó. O Senhor disse que todo ouro e toda prata daquela cidade seria dEle, porque era a primeira (Js 6.18,19). Tudo o que é primeiro é de Deus. Somente a partir da segunda cidade os despojos poderiam ser divididos entre o povo. Mas Acã não seguiu essa direção e tomou o que era de Deus para si. Acã, por isso, foi amaldiçoado.
Porque Acã foi amaldiçoado? Porque pegou algo da Casa do Senhor. Aquilo era santo e consagrado; nenhum homem poderia pegar. Jericó era a primeira cidade a ser conquistada e como primícias pertencia a Deus. Era algo santo, que pertencia à Casa do Senhor. Se alguém pegar as primícias terá a mesma maldição de Acã.
Deus não disse a Josué: “Depois que você conquistar dez cidades dê-me uma”. Ele não disse isso! O que Ele disse foi: “A primeira é minha”.
Deus, sendo gracioso, deu tempo e oportunidade para que Acã se arrependesse, pois a sorte foi caindo sobre cada nível de Israel (Js 7.16-19). JOSUÉ MANDOU QUE ACÃ DESSE GLÓRIA A DEUS PORQUE ELE HAVIA ROUBADO A GLÓRIA QUE PERTENCIA AO SENHOR, A GLÓRIA DE SER O PRIMEIRO.
Temos ignorado o fator Acã e, por causa de um, a bênção deixa de vir sobre todos. A questão não é descobrir quem é o Acã e sim termos a disposição de não sermos um.

6. O exemplo de Abel e Caim

Aconteceu que no fim de uns tempos trouxe Caim do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. Abel, por sua vez, trouxe das primícias do seu rebanho e da gordura deste. Agradou-se o SENHOR de Abel e de sua oferta; ao passo que de Caim e de sua oferta não se agradou. Irou-se, pois, sobremaneira, Caim, e descaiu-lhe o semblante. (Gn 4.3-5)
A oferta de Abel foi a primícias do rebanho, mas a oferta de Caim não foi a primícias da sua colheita. Este é um dos motivos pelo qual a oferta de Abel foi aceita e a de Caim rejeitada. DEUS SOMENTE ACEITA O PRIMEIRO E SOMENTE QUANDO ELE É COLOCADO EM PRIMEIRO LUGAR.
A oferta de Caim não procedeu de fé, pois ele trouxe ao Senhor algo depois de algum tempo, ou seja, depois de ajuntar alguma colheita. MAS ABEL TROUXE A PRIMÍCIAS, OU SEJA, ELE NÃO ESPEROU TER MAIS PARA OFERTAR AO SENHOR. ELE DEU O PRIMEIRO ANTES DE O SEGUNDO VIR.

Pr. Aluísio - Igreja Videira

Nenhum comentário:

 
Site Meter